sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

O mundo em mim

Eu não sei lidar com muitas coisas. Acho que é mais fácil eu falar sobre o que eu sei lidar.  Acho que eu sinto de mais sempre, por tudo já me da nó no estômago. 
   Alguém me disse uma vez que eu não deveria sentir tanto, que eu não deveria me importar tanto e eu achava aquilo uma loucura. Como não se importar? Como não sentir de mais? 




 Talvez tudo esteja fazendo sentido agora. 
 Eu sinto tudo de mais, eu sinto tudo de uma forma gigantesca. Eu sinto o mundo, me desculpe. 
 Eu sinto muito ser sempre muito, ser sempre de mais. Eu sinto muito se por qualquer coisa o meu coração ficar eufórico ou por meu cérebro se desequilibrar e começar a se debates. 

Eu sinto muito por sentir muito, é sério. .. Eu sinto muito.



- Clara Angélica França de Matos 

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Sobre ser feliz

   Eu queria escrever, mas não sabia muito bem sobre o que, embora um assunto já viesse rondando minha mente, estava ali só esperando sair: A fantasia, o "colorir a vida", mas sempre há um "Você ainda pensa assim?", "mas você já tem 26 anos, Está na hora de crescer mentalmente", mas quem disse que por ser tão sonhadora, Eu não seja adulta o bastante?









O que é ser adulto pra você?

Ei, você medico, professor, pedreiro, engenheiro, você deixou de gostar de contos de fadas? Você deixou de roubar brigadeiros logo no começo de uma festa infantil? Deixou de fazer bolhas de sabão ou assistir animações? POR QUE?

Se te fazia feliz, por que você deixou de lado? Poque você pareceria infantil?

Mas essa atitude de se importar com o que pensam sobre você não é características das crianças? Se te faz feliz, se te faz bem, pra que deixar para trás?









Quando crescemos, somos bombardeados por todos os lados, por que tirar de nós mesmos algo que nos faz felizes? No que eu faço, no meu dia a dia preciso da minha imaginação, das minhas fantasias, do meu conto de fadas, E mesmo se eu não fosse uma desenhista, ainda sim eu seria uma sonhadora, eu pintaria a vida, pois isso me move e me faz feliz.

Eu não tenho medo de parecer infantil, tenho medo de ser infeliz.


- Clara Angélica França de Matos -

sábado, 19 de setembro de 2015

Me desfazendo


Em um enorme universo Não caibo dentro de mim Eu nem sei em que estrada estou Eu, eu bem que tento não pensar, Eu nem sei que música ouvir. Ta doendo? ta! mas um dia vai passar Eu não vou importar, nem te chamar, nem falar… deixa pra lá Por que sei bem que você vai me evitar, me esquece, desaparecer, correr, depois aparecer me desfazer, fingir que…

e depois novamente vai correr … fugir, fingir… e tudo de novo. vai dizer que estava brin-can-do, que foi en-ga-no, então chega Eu vou ficar quieta Então te aquieta postura, coluna ereta mesmo com minha mente inquieta, vou ficar dispersa disso tudo... do seu mundo, do infortúnio, longe dessa confusão que você causa - Clara Angélica França de Matos -